DISCOTECA - TODOS OS DIAS SUGESTÕES PARA SUA DISCOTECA

17/09/2018 - CHRISTIAN MCBRIDE - Fingerpaintings 1997 & Inside Straight 2013 Verve & Mack Avenue Records.

Continuando com a Discoteca temos hoje o representante do contrabaixo contemporâneo em dois volumes, um do começo da carreira, o primeiro como protagonista junto de Mark Whitefield (gt) e Nicholas Payton (tp) Fingerpaintings com destaque para Chamaleon, Fingerpaintings e Dolphin Dance. O outro mais recente de 2013 com Warren Wolf Jr (vb), Steve Wilson (as), Eric Scott Reed (pi), e Carl Allen (dr) Inside Straight destaques para Pursuit Of Peace, Starbeam e Theme for Kareen.

17/09/2018

CHRISTIAN MCBRIDE Trio - Baubles, Bangels and Beads com Christian Sands (pi) e Jerome Jennings (dr).

PRÓLOGO

HERBIE ELIS - Nossa próxima atração.

Prezados amigos,

Eu poderia dizer um monte de coisas sobre o site mas vou resumir. Aqui é lugar de música boa, não importa se é esse ou aquele ritmo, melodia, harmonia o que vale é a presença do amor e qualidade. A música, independente da motivação, origem, etnia ou vertente sempre é fator multiplicador de emoçôes, de comunhão e de fraternidade. Nesse contexto criei o Sidão na Parada. Sidão na Parada é onde a gente se encontra, onde posso, considerados os meus parcos conhecimentos do ambiente, considerada a qualidade que é um componente indispensável, me relacionar com os meus amigos e com todos aqueles que apreciam e são devotos de Euterpe. Nada é melhor para representar, pasmem, a verdadeira musa da música que o jazz, o blues e o samba. As raízes africanas, o sofrimento, a mistura, o drive, o swing, o balanço são componentes imprescindíveis na atribulação que é viver hoje. Então sem mais delongas segue o show. Aproveitem e tenham a certeza que estarei sempre a disposição, com o empenho e dedicação que a MÚSICA merece para falar, comentar e viver de modo pleno e intenso esse universo. Aguardo a presença e a visita de todos, sempre. 

Com os meus respeitos, aqui é lugar de música boa !!!!

Sidão Anttogneto

ATRAÇÃO DA SEMANA: GERMANO MATHIAS

Germano Mathias, o genial sambista paulistano.

GERMANO MATHIAS cantor. compositor. percussionista e cuiqueiro.
Nasceu no bairro paulista de Barra Funda, ou como outros pesquisadores afirmam, no bairro de Pari, Zona Leste de São Paulo.
Filho de pai carioca e mãe paulistana.
Ainda menino, participava das rodas de samba dos engraxates da Praça da Sé e outras do centro de São Paulo como Praça João Mendes, Praça Clóvis Bevilacqua, Barra Funda e Rua Direita.
Aos 18 anos foi servir o Exército, apresentando-se na Artilharia Antiaéria, em Quitaúna.
Em 1951 passou a integrar a Escola de Samba Rosas Negras na qual tocava frigideira na bateria. Logo depois, transferiu-se para a Escola de Samba Lavapés.
Trabalhou no início da televisão no Brasil, sendo um dos primeiros a gravar jingles, inclusive o primeiro para a empresa Kellog's no Brasil.
Em março de 1967 recebeu o diploma de "Bacharel da Ordem da Palheta Dourada", do Grêmio Recreativo e Escola de Samba X-9", da cidade de Santos. Neste mesmo ano recebeu do jornalista Randal Juliano o título de "O Catedrático do Samba".
No final da década de 1960 mudou-se de São Paulo para o Rio de Janeiro, passando a residir no bairro de Copacabana, Zona Sul da cidade. A convite de Padeirinho da Mangueira, passou a integrar a Bateria da Mangueira, na qual tocou cuíca em dois desfiles da escola.
No início dos anos 70 voltou a residir em São Paulo.
Em 31 de agosto de 2010 o governo paulista o condecorou com a medalha "Ordem do Ipiranga"

09/08/2018

GERMANO MATHIAS - "Guarde a Sandália Dela" com Guilherme Vergueiro (piano), Luizinho 7 Cordas (violão), Alex Buck (bateria) e Quinteto Preto e Branco (percussão) e o sensacional Raul Souza no trombone.

PRÓXIMA ATRAÇÃO: HERBIE ELIS

Herbie Ellis, guitarrista de jazz americano, doutor pela University of North Texas College Of Music.

Mitchell Herbert Ellis conhecido profissionalmente como Herb Ellis foi um guitarista de jazz americano que nasceu em Farmersville, Texas em 04 de agosto de 1921 e durante os anos 50 ele foi um dos componentes do Oscar Ppeterson  Trio, num tempo de preconceito exacerbado em que um músico branco no trio com dois negros era quase inexplicável.

O primeiro contato de Ellis com a guitarra foi no rádio, ouvindo  performances de George Barnes o inspiraram a escolher a guitarra como sua vida e seu trabalho. Ele tornou-se rapidamente um craque no intrumento e foi aceito por isso na University of North Texas State. Ellis graduou-se em música, mas como a Universidade não tinha uma carreira específica para guitarra estudou e diplomou-se em baixo acústico.  Desafortunadamente, entretanto, devido à sua falta de dinheiro seus dias na universidade tiverem curta duração. Ellis desistiu, então, da faculdade e jntou-se com a Banda da Kansas Unversity, com a qual excursionou por seis meses.

Em 1943, conheceu Glen Gray and The Casa Loma Orchestra e ao fazer parte dela com destaque passou ser reconhecido e citado nos magazines de jazz. Depois da banda de Grey, Ellis juntou-se à orquestra de Jimmy Dorsey onde tocou e gravou seus primeiros solos.Ellis permaneceu com a banda de Dorsey durante o ano de 1947 viajando e gravando intensivamente, tocando em clubes de dança e em cinemas. Então veio a virada que mudaria carreira de Ellis para sempre. O  pianista Lou Carter disse ao jornalista Robert Dupuis numa entrevista em 1996, "a banda de Dorsey tinha seis semanas de espaço na agenda. Nós, eu, Ellis e Frigo só tinhamos tocado juntos na banda. John Frigo já se fora e conheceu o dono do hotel Peter Stuyvesant em Buffalo e nos chamou, fomos para lá e ficamos seis mêses e o Soft Winds nasceu. Juntos escrevemos o clássico standard "Detour Ahead" e nossa vida mudou".

O grupo The Soft Winds entrou na moda depois do Nat King Cole Trio. Ficaram juntos até 1952 quando Ellis juntou-se ao The Oscar Peterson Trio, no lugar de Barney Kessel, formando o que Scott Yanow depois se referiu como o mais memorável trio com guitarra, piano e baixo da história do jazz.

Herbie tornou-se proeminente depois de suas performances com Oscar Peterson e Ray Brown onde ficou de 53 até 58, ainda que a presença de um branco num trio com dois negros era controversa em tempos de racismo exacerbado.

Os grandes trabalhos ao vivo do trio recebiam a adição de um baterista quando o conjunto funcionava como "house rhythm section" ou suporte em gravações da Verve Records de Norman Granz ou apresentações com Ben Webster, Stan Getz, Dizzy Gillespie Roy Eldridge e Harry "Sweets" Edison, Ellis fazia parte da seção ritmica, sem grandes solos no entanto. Com Buddy Rich ele também participou da gravação de alguns álbuns do dueto Ella Fitzgerald e Louis Armstrong

O trio foi presença importante nos concertos Jazz At The Phillharmonic de Norman Granz que varreu quase todo o mundo  em excursões pela América e Europa. Ellis deixou o trio em novembro de 1958 e foi substituido pelo baterista Ed Thigpen. Entre 57 e 60 excursionou com Ella Fitzgerald.

 

Com os companheiros Barney Kessel, Charlie Byrd e Tal Farlow criou um conjunto que modestamente nomeou de The Gret Guitars. Apareceu também num episódio televisivo de Sanford & Son acompanhando o cantor.

Ellis deu ao cartunista Gary Larson, criador do The Far Side lições de guitarra em troca da ilustração da capa de seu disco em parceira com o baixista e cantor Red Mitchell - Doggin' Around de 1988 pela Concord Records. 

Em 1994 foi alçado ao Arkansas Jazz Hall of Fame. Em 1997 recebeu o título honorário de Doutor da University Of North Od Texas College Of Music.

Ellis morreu em 28 de maio de 2010 de Mal de Alzheimer, em Los Angeles com 88 anos.

31/08/2018

HERBIE ELLIS - Blues for Everyone - Solo.

SEÇÕES

PHOTOGRAPHERS

ROY DeCARAVA

Roy DeCarava foi um fotógrafo afro-americano que nasceu em 1919 e recebeu muito jovem uma aclamação da crítica por suas fotografias inicialmente pelo envolvimento e o sentido imaginativo das vidas dos músicos de jazz afro americanos  nas comunidade onde viviam e trabalhavam. Sua carreira abrange aproximadamente seis décadas e DeCarava veio a ser muito conhecido pelo estilo e o aproveitamento do campo nas fotografias em branco e preto  que eram de um refinamento e qualidade incomparáveis. O destaque e o approach de seu objeto eram de tal forma criativos, sensivel e ao mesmo tempo muito diferente da documentação social de seus predecessores. 

DeCarava produziu cinco livros  incluindo The Sound I Saw e The Sweet Flypaper of Life, assim como catálogos de referencia para museus e também pesquisas retrospectivas para os Amigos da Fotografia e o Museu de Arte Moderna de New York. Foi responsável por pelo menos 15 exibições solo e foi o primeiro fotógrafo afro-americano a ganhar o Guggehheim Fellowship. DeCarava foi capaz de fotografar por uma ano sua comunidade e New York, expressando cedo suas impressões criativas em branco e preto através do processo de gelatina de prata. Em 2006 foi premiado com a National Medal Of Arts do National Endowment for the Arts, a maior premiação dada a artistas pelo governo dos Estados Unidos.

DeCarava encorajou outros fotógrafos  e acreditou na acessibilidade no meio. De 1955 a 1957 sob suas expensas estabeleceu e manteve em seu apartamento de arenito na 48 West 85th Street a Photographer's Gallery que mostrou o trabalho de grandes nomes da fotografia no período

DeCarava morreu em 27 de Outubro de 2009.

SITES

Jazz legend & 2018 Kennedy Center Honoree Wayne Shorter is set for the Aug. 24 release of Emanon, his first release since 2013’s Without A Net that marked Shorter’s return to Blue Note where he began his heralded recording career in Art Blakey’s Jazz Messengers in 1959. Emanon is an extraordinary musical & visual experience that presents a triple album of original music by Shorter performed by The Wayne Shorter Quartet—featuring Danilo Perez on piano, John Patitucci on bass, and Brian Blade on drums—with the Orpheus Chamber Orchestra. The music is accompanied by a graphic novel penned by Shorter with Monica Sly and illustrated by Randy DuBurkeEmanon is a physical-only release that will be available in a Standard Edition (graphic novel + 3 CDs) and Deluxe Edition (graphic novel + 3 180g vinyl LPs + 3 CDs enclosed in a hardcover slipcase). Watch the preview video HERE.

 

Marcus Miller evolves his trademark sound on his new album Laid Black. “Afrodeeziawas like a musical voyage through my history. I followed the journey of my ancestors by collaborating with musicians along the African Slave route – musicians from West Africa, North Africa, South America and the Caribbean. With Laid Black, I decided to bring the music right up to the present using elements from what’s happening in urban music today. So you’ll hear hip-hop, trap, soul, funk, R&B and jazz on this album. The music is calm but also powerful and funky, drawing on the black musical experience. Laid Black.

 

 BLUES LABEL

 

Specialty Records foi um selo musical americano fundado em Los Angeles no ano de 1945 por Art Rupe. Foi muito conhecido pelo blues, r&b, gospel e early rockand roll. Gravou gente como Roy Milton, Little Richard, Guitar Slim, Percy Mayfield e LLoyd Price. Rupe começou a companhia com o nome Juke Box Records mas trocou seu nome para Specialty quando a empresa foi repartida com os donos originiais.

A filha de Rupe Rupe's relançou o selo em 1980 que foi adquirido pela Fantasy Records em 1991 e é hoje parte do Concord Music Group 

ESPAÇO FESTIVAIS

De 21 a 23 de setembro, sob o sol da Califórnia acontece um dos mais tradicionais e antigos festivais de jazz. O 61st Monterey Jazz Festival que trará entre outros Jose James, Anat Cohen, Jon Batiste, Lucinda Williams, Cecile McLorin Salvant, Norah Jones, Christian McBride, Wynton Marsalis e a grande homenageada Dianne Reeves.

Atenciosamente

Sidnei Anttogneto