18/05/2016

ECM RECODS

Fundada em München na Alemanha em 1969 por Manfred Eicher, produtor musical, o selo dedicou-se ao jazz e  além dos nomes ora selecinados manteve em seu quadro entre outros Mal Waldron, Chick Corea, Egberto Gismonti, Naná Vasconcelos, Paul e Carla Bley, Charles Lloyd, Jan Garbarek, Bill Frisell, Dave Holland, Paul Motian, John Abercrombie, Eberard Weber e Charlie Haden.

Produziu também jazz experimental com Evan Parker, Rascoe Mitchell, e John e Mat Maneri, além de abrigar grupos como o CoDoNa e os experimentos "folk" de Garbarek. Criou, também a série Rarum, da qual destacamos 3 volumes, com seus grandes nomes onde apresenta a nata de seus contratados.

Hoje o selo é distribuido pela Universal Music e é fácil encontrar nas lojas especializadas a maioria dos registros.

 

  • Pat Metheny Rarum

  • Keith Jarret Rarum

  • Gary Burton Rarum

13/05/2016

Você pode falar comigo no fim deste página

Sugerimos hoje dois grandes registros e começamos com Thelonious Monk Plays Duke Ellington de 1955 onde apareçe a formação trio com Monk, Oscar Pettiford e Kenny Clarke interpretando clássicos de Duke no estilo inovador de TSM. A capa deste registro é ilustrada com uma pintura de Rousseau. O outro volume nos traz Bill Evans de 1960 Portrait In Jazz, registro de Bill jovem ainda na companhia de seu baixista preferido Scott LaFaro e o não menos categorizado baterista Paul Motian. São volumes antigos mas relançados várias vezes e facimente encontráveis em LP nos sebos e CDs nas boas livrarias

O selo Riverside Records foi criado em 1953 por Bill Grawer e a produção ficava a cargo de Orrin Keepnews, um descobridor de talentos, para reproduzir clássicos da década de '20, mas o arrojo e percepção de Keepnews trouxe para seus quadros figuras como Bill Evans, Thelonious Monk, Julian Cannonball Adderley, Art Blakey , Sonny Rollins, Wes Montgomery e Charlie Byrd entre outros e importantes músicos de jazz. A gravadora funcionou até 1964 quando foi vendida para a Fantasy Records

  • Thelonious Monk plays Duke Ellington de 1955

    Thelonious Monk - piano
    Oscar Pettiford - contrabaixo
    Kenny Clarke - bateria

  • Portrait In Jazz de 1960

    Bill Evans - piano
    Scott LaFaro - contrabaixo
    Paul Motian - bateria

03/05/2016

Hoje a sugestão é John Coltrane e família. O primeiro é Duke Ellington & John Coltrane, o seguinte é Ballads com o quarteto clássico e o terceiro é com sua segunda mulher Alice o também clássico The Impulse Story.

Todos lançamentos da Impulse Records, que é uma gravadora de início lançada em 1960 por Creed Taylor sob os auspícios da ABC Paramount Records que tem em seu catálogo um rol de músicos, especialmente de jazz, de altíssima qualidade. Seu distribuidor atual é a Verve e mantém em catálogo os tres registros sugeridos. É relativamente fácil encontrar os LPs e CDs em lojas de discos e sebos ainda que importados e antigos. A Impulse continua a produzir e hoje mantém em seus quadros músicos muito interessantes, atuais e de qualidade comprovada como John Scofield, Sarah Mackenzie, Charlie Haden, Ran Blake, Jackie Terrason entre outros.

  • Duk Ellington & John Coltrane -

    Gravado em setembro de 1962 nos estudios Van Gelder e contou com Duke ao piano John no Sax Tenor, Jimmy Garrison e Aaron Bell no baIxo e Elvin Jones e Sam Woodyard na bateria.

  • John Coltrane Quartet - Ballads -

    Gravado em setembro, novembro e dezembro de 1962 nos estúdios Van Gelder e teve McCoy Tyner ao piano, Jimmy Garrison ao contrabaixo e Elvin Jones na bateria.

  • Alice Contrane - The Impulse Story -

    Gravado em 1968 nos estudios da Cosmic e contou além de Alice nos teclados com Ron Carter e Jimmy Garrison ao contrabaixo, Rashied Allie e Ben Riley na bateria e Joe Henderson no sax tenor.

28/04/2016

Sugerimos dois albuns de Eric Clapton:

Unplugged de 1992 que rendeu ao guitarrista cantor seis Grammys, só Tears In Heaven garantiu tres. Chegou à posição 1 da Billboard com mais de 10 milhões de cópias vendidas e sua posição é 71 na lista dos 100 melhores albuns de todos os tempos e

Forever Man de 2015 são cinquenta e uma músicas nessa coletânea lançada em abril do ano passado. É imperdível na medida em que apresenta o músico em sua plenitude e seus maiores sucesso.

Os dois álbuns são lançamento da etiqueta Reprise Records que foi criada por Frank Sinatra em 1960 que recrutou vários e famosos artistas da época como Dean Martin, Sammy Davis, Jr, Bing Crosby, Rosemary Cloney e sua filha Nancy entre outras celebridades. É viva até hoje e Eric Clapton é um de seus vários contratados. 

  • Eric Clapton - Unplugged - 1992

  • Eric Clapton - Forever Man - 2015

19/04/2016

Verve Records é uma gravadora americana fundada em 1956 por Norman Granz e surgiu da absorção da Mercury, Nogram e da Clef Records em 1961 foi vendida para a MGM. Creed Taylor foi nomeado pela Metro como seu diretor e foi a primeira gravadora a se interessar em registrar a bossa nova e manteve Astrud Gilberto, Walter Wanderley, Antonio Carlos Jobim, Stan Getz e Charlie Byrd entre outros artistas divulgadores da MPB os EUA. Seu quadro de artistas é invejável. Sugerimos abaixo alguns 

  • Diana Krall

    A pianista e cantora canadense em grande forma nesse Wallflower de 2015. Muito boa pedida.

  • Gato Barbieri

    O exímio saxofonista argentino, que nos deixou no último dia 02, em disco de 2006. Excelente repertório e a qualidade musical de sempre.

12/04/2016

Algumas sugestões da última postagem da etiqueta Blue Note Records. Gravadora americana fundada em 1939 por Alfred Lion e Max Marguiles e seu nome está ligado ao jazz e blues, faz parte desde 2008 do grupo EMI e hoje quem distribui catálogo e lançamentos e a Parlaphone Records. Mantém em sua carta músicos de jazz, blues, gospel, soul e R & B.

  • Blue Note relançando clássicos.
    Nesta coluna The Hits com tradição de John Coltrane, Art Blakey, Lee Morgan e Herbie Hanckok

  • Na sequencia Jazz Vocalists
    Sheila Jordan, Dodo Greene, Diane Reeves, Norah Jones, Cassandra Wilson, Kurt Ealing e Jose James com toda a verve.

  • The Ballads em seguida com Joe Henderson e seu tenor, McCoy Tyner e seu piano, Bobby Hutcherson e suas marimbas e vibrafone e encerrando Donald Byrd e seu trompete competente.